Entorno de córrego vira esconderijo no Caieira e preocupa em Limeira

A Comissão de Obras e Serviços Públicos da Câmara de Limeira esteve nesta terça-feira (21/06) em uma passagem de pedestres na lateral do córrego que fica ao lado do Centro Infantil Jardim Caieira. O local acumula queixas por parte de moradores e da comunidade escolar.

As demandas foram apresentadas pela diretora do Centro Infantil, Leia Alves Barbosa Cesário, pela coordenadora Bruna Raquel dos Santos Domingos, e pela moradora Eliane Batista.

Segundo a diretora, o descarte irregular de entulho, móveis e até de animais mortos é feito no local. O acúmulo de lixo traz escorpiões e mosquitos e coloca em risco as crianças da escola, localizada nas imediações.

Outro problema é a iluminação. Os vereadores Helder do Táxi (MDB) e Ceará (Republicanos) apuraram que a área é perigosa durante o dia, pois pessoas se escondem na vegetação e abordam passageiros que aguardam no ponto de ônibus que fica em frente ao córrego. À noite, é ainda mais perigoso. “Pessoas usam drogas neste local e também jogam coisas na escola. Por ser muito escuro e pelo muro ser baixo, nossa escola já foi invadida várias vezes, já roubaram toda nossa fiação e até geladeira”, contou a diretora.

A falta de segurança no entorno do córrego foi apontada por Eliane. Ela disse ter socorrido duas crianças que caíram no local e, recentemente, um morador de Araras foi resgatado de lá, pois não conseguia sair. Também foi informada a possibilidade de vazamento de esgoto na área.

Sobre a iluminação, o diretor de Serviços Públicos da Prefeitura de Limeira, Gabriel Soares, propôs a colocação de refletores na própria escola, voltados para a passagem, para que eles fiquem em uma boa altura e protegidos da ação de vândalos. A sugestão é que a instalação seja feita pela Secretaria Municipal de Educação.

Com relação à limpeza, Gabriel disse que já foi feita há alguns dias e que será feita novamente nesta semana. Sobre o calçamento, ele afirmou que é preciso um estudo.

Para verificar se ocorre vazamento de esgoto, o diretor de Políticas Ambientais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Rogério Mesquita, solicitou que técnicos da BRK Ambiental façam uma inspeção no local, mas ele acredita que se trata de água parada devido ao acúmulo de lixo descartado incorretamente.

Os vereadores também pediram a instalação de placas alertando sobre a proibição de jogar entulho e lixo no local, como forma de educar e coibir o descarte irregular.

Fonte e Foto: Câmara de Limeira

Compartilhe

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

11 − dez =

error: Conteúdo protegido por direitos autorais.