“Cyrano”: clássico e atual

por Farid Zaine
@farid.cultura

Edmond Rostand é um dos nomes mais consagrados do teatro francês. Escreveu várias peças, a primeira delas a ser encenada pela Comédie Française sendo “Os Românticos”, em 1894. Rostand estreitou laços com a maior atriz francesa da época, Sarah Bernhardt, que interpretou várias de suas peças , e até hoje é uma lenda.

O grande sucesso popular e o reconhecimento da crítica para Rostand, contudo, veio apenas em 1897,quando estreou seu mais famoso texto, “Cyrano de Bergerac”, hoje considerado um dos grandes clássicos do teatro mundial. A história é sobejamente conhecida, inspirada numa personagem real vivida no século XVII: Cyrano de Bergerac, homem de muitos talentos, espadachim audacioso, corajoso, mas sobretudo um exímio poeta, um profundo conhecedor da língua e das formas elegantes de se expressar, apaixona-se por Roxanne, mulher muito bonita e admiradora das belas palavras; Roxanne, por sua vez, apaixona-se por Christian de Neuvillette, jovem e belo soldado que também se encanta por ela.

Cyrano, que tem um nariz de tamanho desproporcional, tem total insegurança em relação a Roxanne, e Christian, por não saber se expressar, também é muito inseguro. Os dois, então, estabelecem uma inusitada parceria: certo de que Roxanne não o aceita por causa de sua aparência, Cyrano passa a escrever cartas de amor para ela, em nome de Christian. Roxanne, naturalmente, se encanta pelo jovem, pensando que é o autor de tão belas e nobres palavras.


“Cyrano de Bergerac”, teve, ao longo de mais de um século, as mais diversas montagens teatrais mundo afora , e muitas adaptações para o cinema. Michael Gordon filmou a história em 1950, e Jose Ferrer, intérprete de Cyrano, venceu o Oscar 1951 de Melhor Ator, batendo William Holden no clássico “Sunset Boulevard” (Crepúsculo dos Deuses).

Era inevitável que “Cyrano de Bergerac” virasse musical, primeiro nos palcos dos teatros, depois no cinema. Chegou, então, em 2021, às telas a versão de Joe Wright para a tela grande, agora também disponível no streaming. O musical “Cyrano” , com o toque requintado de Wright, virou um filme que se vê com grande prazer. Uma adaptação radical foi na escolha do tipo físico para Cyrano: ao invés do nariz avantajado, agora o motivo da insegurança da personagem é seu tamanho: ele é anão. Wright fez uma escolha muito acertada, e para o papel foi escalado o ótimo Peter Dinklage, que atuou em muitos filmes e produções para a TV, a mais famosa sendo “Game os Thrones”, da HBO. Dinklage se sai muito bem como o destemido espadachim e poeta, e inclusive canta. Ele foi indicado ao Globo de Ouro como melhor ator em comédia ou musical, mas perdeu para Andrew Garfield (Tick…Tick…Boom). Esperava-se uma indicação ao Oscar da categoria, mas Dinklage foi ignorado. O filme de Wright foi indicado a melhor musical no Globo de Ouro, mas perdeu para a versão de Spielberg para “Amor, Sublime Amor”, e aí com toda a justiça.

Todo o elenco do musical “Cyrano”, além do protagonista Peter Dinklage, é muito bom, com destaque para a intérprete de Roxanne, Haley Bennett, e para o ator negro Kelvin Harrison, como o soldado Christian. Um trio afinado, com o suporte de coadjuvantes igualmente competentes .
Muito bonito visualmente, e com ótimas músicas, “Cyrano” também investe em coreografias bem- humoradas, rápidas cenas de ação e muito, muito romance.

Considerada uma das histórias de amor mais encantadoras de todos os tempos, “Cyrano” hoje tem um sabor ainda mais contemporâneo , nesses nossos dias em que têm sido tão valorizados o politicamente correto e todas as formas de inclusão.

CYRANO – musical de Joe Wright baseado no clássico de Edmond Rostand – disponível para compra ou aluguem no NOW (Claro TV+).
Cotação: ****MUITO BOM

Compartilhe

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

vinte − nove =

error: Conteúdo protegido por direitos autorais.