Elvis e Madona: o filme que virou livro

Por Farid Zaine
@farid.cultura

Neste sábado, 11 de setembro de 2021, às 16h, na Biblioteca Municipal, recebo o escritor e jornalista Luiz Biajoni para um “papo literário”. Biajoni está relançando seu livro “Elvis e Madona –Uma Novela Lilás”, após 10 anos do lançamento da primeira edição. O escritor fez um caminho inverso ao que é mais comum, transformando o roteiro do filme em um romance. Há vários casos semelhantes, como o do diretor mexicano Guillermo Del Toro, cujos filmes “O Labirinto do Fauno” e “A Forma da Água”, tiveram seus roteiros transformados em livros.

Na edição que chega agora de “Elvis e Madona”, Biajoni também atualizou o conteúdo, segundo a divulgação:

 “Lançada inicialmente em 2010, junto ao filme de Marcelo Laffitte, a obra apresenta a história de amor da travesti Madona e da motoboy lésbica Elvis, no universo de sonhos, desejos e violência de Copacabana.

Ambas as produções arrebataram corações do público e da crítica, sendo que o filme foi ainda vencedor de diversos prêmios em festivais mundo afora.

O enredo combina aventura romântica e trama policial e, agora, ganha edição comemorativa pela Bazar do Tempo, dez anos depois de seu lançamento.

Na nova edição, o romance passa por adaptações de terminologia LGBTQIA+ feitas em parceria com a Mezcla Diversidade, consultoria especializada em comunicação inclusiva. O autor conta também com o auxílio de Amara Moira, doutora em literatura e ativista, no ajuste de algumas cenas. Amara é responsável ainda pelo prefácio que traz o texto da professora Vilma Costa que analisa a edição original; e posfácio do escritor Raphael Montes.

O romance conta também com audiobook pela Storytel, com narração da atriz e jornalista Carol Marra.”

O filme “Elvis e Madona”, dirigido por Marcelo Laffitte, também inaugurou um projeto cultural em Limeira, o “Cine Cultura”, em novembro de 2011. Na ocasião, aconteceu uma pré-estreia nacional do filme estrelado por Igor Cotrim e Simone Spoladore, no Teatro Vitória. Lotado, o público do Teatro deu ótima recepção ao longa, contando com a presença do protagonista, o ator Igor Cotrim, intérprete da personagem Madona. O Projeto prosseguiu depois com a exibição do Festival Mix de Cinema da Diversidade, contando com a presença do jovem ator Fábio Audi, que se apresentou ao público de Limeira antes da exibição do curta “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, que originou o aclamado longa “Hoje eu Quero Voltar Sozinho”, ambos dirigidos por Daniel Ribeiro.

Luiz Biajoni é autor de diversos livros, entre eles “A Comédia Mundana”, que reúne três de suas novelas policiais (a chamada “trilogia sacana”), além de títulos como “A Viagem de James Amaro” , “Quatro Velhos” e um dos mais recentes, “Algum Amor”.

Apaixonado por Jazz, Biajoni deixa transparecer seu gosto musical e seu vasto conhecimento nessa área, o que deixa a leitura de vários de seus livros já com “trilha sonora” pronta para os leitores. Sempre convidado a participar de encontros literários, Biajoni tem uma sólida carreira de escritor. Cinéfilo e roteirista, jamais deixa de demonstrar também seu amor pelo cinema e de declarar suas preferências.

No bate-papo que acontece hoje, falaremos sobre livros, filmes, música, mas sobretudo sobre esse importante lançamento, o da nova edição de “Elvis e Madona”. O filme homônimo está disponível no Youtube, gratuitamente. O diretor Marcelo Laffitte morreu em 2019, no Rio de Janeiro, aos 55 anos, vítima de enfarte fulminante. Lamentável, pois ele certamente teria brilhante carreira pela frente.

Compartilhe

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

um × um =

error: Conteúdo protegido por direitos autorais.