DDM vai apurar abuso sexual de adolescente que se mutilava em escola de Limeira

Uma ocorrência chocante foi registrada na manhã desta segunda-feira (23) pela Guarda Civil Municipal (GCM) e que será investigada pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM). Uma adolescente, de 16 anos, foi encontrada no banheiro de uma escola estadual se automutilando com objeto cortante. Ela relatou trauma por ter sofrido abuso sexual desde a infância.

A jovem já teve os primeiros atendimentos médicos prestados pelo SAMU. Os ferimentos foram feitos nos braços e pernas.

Os guardas Nelson e Silvana Arado estão à frente da ocorrência e, de imediato, colheram da menina o relato de foi abusada sexualmente dos 5 aos 13 anos de idade. Até o momento, ela não identificou o autor dos abusos, mas ressaltou que não teria sido o pai.

Conforme divulgado pela GCM, a adolescente disse que não consegue conviver com o trauma e se mutila para esquecer “a dor da alma e transferir para a dor física”.

A GCM Silvana Arado estuda comportamentos de abusos sexuais e explicou que a autolesão não suicida na adolescência tem recebido atenção pelo do aumento de casos relatados nas escolas. Silvana explica que este é considerado um comportamento autodestrutivo com o objetivo de transferir o sofrimento que muitas vezes não é verbalizado. “É certo que a expressão é um sinal de pedido de socorro”.

A mãe da adolescente compareceu à escola e disse que a filha não tem acompanhamento psicológico. Ela informou que não sabia do relato da filha sobre o abuso sexual.

A adolescente foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) onde receberá outros atendimentos. O caso também é acompanhado pelo Conselho Tutelar.

Foto: Wagner Morente/GCM Limeira

Compartilhe

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

12 + dez =

error: Conteúdo protegido por direitos autorais.