Iracemapolense que tentou matar a esposa e pediu para filhos alegarem suicídio vira réu

A Justiça de Limeira abriu ação penal contra S.B.S. por tentativa de homicídio triplamente qualificado (feminicídio, motivo fútil e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima). O crime ocorreu no dia 7, no Parque Doutor Dimas Cera Ometto, em Iracemápolis, e a vítima é a esposa do réu, que também corre o risco de ser condenado por fraude processual.

Consta na denúncia, assinada pela promotora Débora Bertolini Ferreira Simonetti, que a vítima e o réu eram companheiros e têm filhos, mas a relação amorosa entre eles era conturbada. No dia do crime, a mulher consumia cerveja em sua residência e S., ao chegar do trabalho, começou uma discussão por conta dessa situação.

Em seguida, a vítima preparou a refeição para que os filhos pudessem jantar e retornarem ao trabalho, mas, após a saída das dos filhos, o casal voltou a discutir na presença de duas crianças, uma delas filha e a outra neta do casal.

A promotora descreveu ainda que a mulher sentou no sofá para assistir televisão e, de forma imprevisível, foi atingida com um golpe de faca no tórax, na região abaixo de um dos seios. Após o golpe, o réu deixou a casa e foi à procura dos três filhos que estavam trabalhando. Ele confessou que tinha esfaqueado a mãe e que eles precisavam ir para casa sob o risco de ela morrer.

Quando chegaram no imóvel, os filhos encontraram a mãe ainda no sofá, com um pano tentando estancar o sangramento e bastante pálida. Imediatamente, ela foi socorrida para o hospital e, diante à gravidade do ferimento, precisou ser submetida a cirurgia.

FRAUDE PROCESSUAL
A acusação de fraude processual (artigo 347 do Código Penal) contra S. ocorre porque, de acordo com o MP, enquanto a vítima era socorrida no hospital o réu tentou limpar a cena do crime. “Ele limpou o sangue da vítima que havia derramado no chão da sala com um pano molhado, de forma a inovar o local dos fatos e evitar que a autoria lhe fosse reconhecida”, acusa Débora.

Além disso, o acusado teria solicitado aos filhos que mentissem sobre o ocorrido. “Avisou aos filhos que teriam que inventar uma estória sobre os fatos, inclusive de que a mãe teria tentado suicídio, sob o argumento de que ‘vocês vão ferrar eu’ caso contassem o que realmente ocorreu”, completou a promotora.

Assim que a Guarda Civil Municipal (GCM) foi para o hospital tomar ciência do caso, conversou com os filhos e um deles confirmou que o pai tinha esfaqueado a mãe. O réu foi preso em flagrante num bar, apresentado à Polícia Civil e denunciado pelo MP.

O juiz Guilherme Lopes Alves Lamas, da 2ª Vara Criminal de Limeira, recebeu integralmente a denúncia no dia 22 e S., que está preso, se tornou réu. A defesa será citada e poderá apresentar suas alegações nos autos.

Compartilhe

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

três × 4 =

error: Conteúdo protegido por direitos autorais.