Vigilância pede informações para apurar se há variante da Covid em Limeira

A Secretaria de Saúde confirmou ter recebido, no final da tarde de terça-feira (16/02), do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), subsede de Limeira, ofício em que a instituição afirma que teria recebido de professores notificações, sendo que uma delas, na Escola Estadual Professor Leovegildo Chagas Santos, com a variante “B117” da Covid-19, que apareceu no Reino Unido e assusta pela velocidade do contágio. No entanto, a Prefeitura precisa de mais dados.

Segundo a Vigilância, o sindicato não menciona nome da pessoa, dados de qualificação pessoal, endereço, laboratório que teria realizado o suposto exame e o laudo que supostamente identifica a variante “B117”. O órgão notificou a Apeoesp, no final da tarde desta quarta-feira (17/02), a apresentar os dados em 24 horas, “tendo em vista a gravidade e o clamor público conforme afirmação do ofício”.

Sobre a Escola Estadual Professor Leovegildo Chagas Santos, a Vigilância Epidemiológica apurou que há um caso de uma estudante que realizou um exame do tipo RT-PCR (para identificar a infecção por Covid-19), com caso positivo para coronavírus, porém, sem a identificação de qualquer variante ou subespécie do vírus.

O exame da adolescente, realizado em outro município, não apresenta indicação ou comprovação de qualquer variante do coronavírus. “O que consta é uma nota técnica afirmando que os exames realizados pelo laboratório podem detectar tal variante, no entanto, para fins de monitoramento epidemiológico, amostras associadas a histórico de pacientes que tiveram contato com pessoas fora do Brasil ou apresentem o perfil molecular atípico serão encaminhadas para laboratório da Universidade de São Paulo (USP) – o que não foi o caso da estudante, que teve o resultado de exame positivo para Covid-19, sem determinação de qualquer variante”, completou a Prefeitura.

A pasta afirmou que a identificação de variante requer suspeita e exames específicos, o que são realizados por poucos laboratórios. A referência para a região de Limeira é o Instituto Adolfo Lutz.

A informação da possível variante foi enviada à Prefeitura pela Apeoesp, que diariamente acompanha e monitora a evolução de casos de Covid nas escolas de Limeira, que voltaram às aulas presenciais nesta semana. Assim que recebeu a informação, o sindicato dos professores comunicou a Vigilância Sanitária. A Apeoesp defende apuração rápida e tomada de providências para proteção de alunos, familiares e profissionais da Educação.

Compartilhe

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

error: Conteúdo protegido por direitos autorais.