VERSO E VOZ: um projeto vitorioso

por Farid Zaine
@farid.cultura

Numa mistura de temas como amor e amizade, vida e morte, guerra e paz, arte e esporte, preconceito, tragédia e solidariedade, aconteceu na tarde de quinta-feira, 6 de junho de 2024, mais uma edição do Projeto Verso e Voz, um dos mais longevos da agenda cultural de Limeira. Cinco escolas estaduais  do Ensino Fundamental II e cinco do Ensino Médio se apresentaram no palco do Teatro Vitória Emiliano Bernardo da Silva, confirmando o que já se esperava: cada vez mais o concurso se torna impressionante pela qualidade das apresentações preparadas por alunos, professores, coordenadores e colaboradores, e que formam um grande espetáculo, com a equipe técnica da Secretaria de Cultura dando o suporte para um evento grandioso, mas que flui com dinamismo total, mostrando a competência e o talento de todos os que compõem cada edição.

Disputando medalhas de ouro , prata e bronze nas categorias declamação, performance, trilha sonora, figurino, cenário, maquiagem e torcida, os alunos vibraram intensamente o tempo todo, cada escola respeitando a outra, numa mostra de educação e civismo. Os responsáveis pelo júri foram Bruna Carvalho de Oliveira, Lucas Domiciano, Miriam Soares, Carlos Jerônimo, Catharina Fernanda Boldt e Jonatas Noguel. As escolas estaduais que participaram foram Brasil, Castello Branco, José Marciliano, José Ferraz, Dom Idílio, Ely de Almeida Campos, Perches Lordello, Dorivaldo Damm e Gabriel Pozzi. Ronald Gonçales foi o apresentador, figura já tradicional no evento, com a coordenação geral do Secretário de Cultura, Evandro Leite da Silva. O Prefeito Mário Botion e a vice-prefeita Erika Tank participaram da abertura, juntamente com representantes da Diretoria de Ensino de Limeira e o CPP – Centro do Professorado Paulista, parceiros do evento. Após as apresentações, um show vibrante de emoções e beleza, o resultado foi anunciado:

VENCEDORES DE 2024

ENSINO FUNDAMENTAL:
Maquiagem: Brasil (ouro), José Marciliano (prata) e Castello Branco (bronze);
Cenário: Brasil (ouro), Ely (prata) e Castello Branco (bronze);
Figurino: José Marciliano (ouro), Brasil (prata) e Castello Branco (bronze);
Trilha Sonora: Brasil (ouro), Ely (prata) e José Ferraz (bronze);
Performance: Brasil (ouro), Castello Branco (prata) e José Marciliano (bronze);
Torcida: Castello Branco (ouro), Brasil (prata) e José Ferraz (bronze);
Declamação: Castello Branco (ouro), Brasil (prata) e José Marciliano (bronze).

ENSINO MÉDIO:
Maquiagem: Brasil (ouro), Dorivaldo Damm (prata) e Dom Idílio (bronze);
Cenário: Brasil (ouro), Perches (prata) e Dorivaldo Damm (bronze);
Figurino: Brasil (ouro), Perches (prata) e Gabriel Pozzi (bronze);
Trilha Sonora: Brasil (ouro), Gabriel Pozzi (prata) e Perches (bronze);
Performance: Brasil (ouro), Perches (prata) e Gabriel Pozzi (bronze);
Torcida: Perches (ouro), Brasil (prata) e Gabriel Pozzi (bronze);
Declamação: Brasil (ouro), Gabriel Pozzi (prata) e Dorivaldo Damm (bronze).

Um pouco da história do VERSO E VOZ:

Criei o Projeto VERSO E VOZ quando fui coordenador na Escola Estadual Prof. Gabriel Pozzi, em Limeira (SP), há muitos anos, precisamente em 1994, quando havia o Projeto Escola Padrão, mantido pelo Governo do Estado. Eu tinha o objetivo de fazer circular os livros de poesia da biblioteca da escola e também, ao mesmo tempo, estimular o desenvolvimento das linguagens artísticas.  O Projeto se tornou exatamente isso: a poesia unindo as linguagens das artes. Um concurso de declamação de poesias que funciona como uma olimpíada artística. O sucesso na escola foi tanto que o Projeto se estendeu a todas as escolas da Diretoria de Ensino de Limeira, transformando-se a seguir num evento cultural adotado pelo poder público municipal. O aluno declama um poema e é acompanhado por performance de colegas, que traduzem o texto em figurinos, cenários, maquiagens, performances, trilhas sonoras e coreografias. Um desafio é fazer tudo dentro do limite de 4 minutos. Ao final da declamação, um grupo de estudantes faz o seu “grito de guerra” , em um minuto, momento em que fica evidente “o amor à camisa da escola”, defendida com garra pelos alunos. Portanto, é enorme a conexão do projeto com a educação, uma vez que sua abrangência contribui muito para a paz na escola, o estímulo ao gosto pela arte e a compreensão de que a cultura e a arte são a nossa salvação.

E assim continuamos nessa jornada, acreditando cada vez mais na Escola Pública, no talento, na garra e na determinação dos nossos profissionais da educação e de jovens talentosos que são tocados para sempre pelo poder da arte.

Foto: Prefeitura de Limeira

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

error: Conteúdo protegido por direitos autorais.