URC de Limeira completa 1 mês de ocupação total de leitos de UTI

Desde o dia 21 de maio, todos os leitos de UTI da Unidade de Referência Coronavírus (URC) em Limeira estão ocupados. São 105 leitos na Humanitária exclusivos para pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19, sendo 49 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 48 clínicos e oito de suporte ventilatório (emergência).

Todos os setores ficaram lotados neste um mês, exceto um único dia: 25 de maio, quando a URC ficou com 97,1% de ocupação. A UTI, no entanto, permanecia com 100% nesta data.

Há uma dinâmica diária no local, assim ocorre com todo o sistema hospitalar. Ocorrem transferências, altas e óbitos. Mas, assim que um leito tem sido liberado no último mês, após a higienização, já é ocupado, tamanha gravidade do atual momento da pandemia na cidade. Os outros hospitais (Medical, Unimed e Santa Casa) também têm sofrido com a lotação.

A persistência da lotação e os casos graves fizeram com que, recentemente, o prefeito Mario Botion (PSD) anunciasse a abertura de novos leitos de Covid-19 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Abílio Pedro. Desde sexta-feira (18), os atendimentos de ginecologia e obstetrícia da UPA foram transferidos para o PA Infantil (Hospital da Criança). Os leitos de Covid na UPA estão sendo estruturados para começarem a funcionar em breve.

Cenário hoje

Atualização da Secretaria de Saúde nesta segunda-feira (21) mostra que todos os leitos da URC continuam lotados. A cidade chegou hoje a 895 óbitos confirmados pela Covid-19 e 38.288 casos confirmados. Foram 12 mortes de ontem para hoje – esse é o maior número de confirmações, em 24 horas, registrado em Limeira, desde o início da pandemia. 

Cenário há 1 mês

Em 21 de maio, quando foi anunciada a lotação de todos os setores da URC, eram 716 óbitos confirmados e 31.565 casos confirmados na cidade. Naquele dia, o secretário Vitor Santos disse que pacientes conveniados seriam atendidos pelos planos médicos e pacientes SUS encaminhados à Santa Casa, se houvesse vagas e, caso todos os recursos se esgotassem, seria usada a Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross) para encaminhamento aos hospitais da região. Não há informação de desassistência na cidade neste período.

Na iminente necessidade de conter o avanço da pandemia, a corrida é para imunização o mais rápido possível. Hoje, foi liberada a aplicação à população geral a partir dos 48 anos, além de outros grupos prioritários. A diminuição das idades depende da chegada de mais doses.

O uso de máscara, distanciamento social e higienização frequente das mãos continuam imprescindíveis.

Foto: Prefeitura de Limeira

Compartilhe

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

19 − 10 =

error: Conteúdo protegido por direitos autorais.